top of page

Ayrton Senna: o homem, ídolo e heroi!

Atualizado: 2 de mai.

Trajetória e carreira do maior piloto brasileiro de todos os tempos, com detalhes e entrevista exclusiva de empresário automotivo que teve a vida afetada pela presença da lenda


Ayrton Senna
Fonte: @sennabrasil

Quando falamos em fãs de Fórmula 1 podemos dividir em duas eras: as pessoas que viveram os anos dourados de Senna e as que nasceram após esse período.

 

Para as primeiras, é praticamente unânime o sentimento de respeito e união que ele trazia, principalmente para o público brasileiro, por ser sua nação, e japonês, que lhe adotou com carinho. 


Muito se escuta destas pessoas que o esporte perdeu a graça após a morte de Ayrton, ou que não conseguem mais assistir as corridas por conta do sentimento de luto que permanece até os dias de hoje. Mas basta ouvirem o assunto das vitórias de Senna, que eram tradição na vida de muitos brasileiros, para que toda a emoção e nostalgia dos domingos de manhã volte com tudo!

 

Para o público que só ouviu falar da lenda, depois do ano de 94, por mais que o admirem, nunca irão entender o real sentimento de assistir o chefe correndo ao vivo. Por isso, reassistir as corridas antigas, ver os inúmeros documentários e, principalmente, ouvir as pessoas que acompanharam toda a sua carreira, os faz conhecer mais o homem que é o ídolo da maioria dos pilotos do grid atual, inclusive o heptacampeão Lewis Hamilton. 


Ayrton Senna
Fonte: @lewishamilton
Ayrton Senna
Fonte: @lewishamilton
Ayrton Senna
Fonte: @teamgasly
Ayrton Senna
Fonte: @charles_leclerc

Ayrton Senna da Silva, nascido em São Paulo no dia 21 de março de 1960, era filho do meio do empresário Milton da Silva e Neide Senna. Ele começou no Kart aos 4 anos e conquistou sua primeira vitória em julho de 73 na sua estreia oficial no kart, com 13 anos, no Torneio de Férias da 4ª categoria menor realizado no Kartódromo de Interlagos. Seu primeiro Kart foi o de número 007 e depois 42.


Enquanto amadurecia no automobilismo através do kart, Ayrton acumulou várias vitórias e títulos nos campeonatos paulista, brasileiro e sul-americano. Foi campeão sul-americano em 1977 no Uruguai e tetracampeão brasileiro de 1978 a 1981, apenas o título mundial lhe escapou, foram quatro tentativas, terminando duas delas como vice-campeão.

 

A clássica pintura de seu capacete surgiu ainda no Kart, criação de Sid Mosca para a disputa do Campeonato Mundial de Kart de 1979, pintura essa que ele nem imaginava que iria entrar para a história do automobilismo.

 

No início dos anos 80, as competições de Fórmula Ford na Europa eram consideradas a grande porta de entrada para o automobilismo internacional, que tem como seu auge a Fórmula 1. Sendo assim, Ayrton se mudou para Inglaterra para disputar a temporada de 1981 do Campeonato Britânico de Fórmula Ford 1600, conquistando sua primeira vitória no dia 15 de março de 1981 no circuito de Brands Hatch. Ayrton acumulou 12 vitórias de 20 provas consagrando-se campeão da temporada.


Em 1982, foi para a Fórmula Ford 2000 e competiu nos campeonatos Britânico e Europeu, ganhou 22 provas de 28 no total, conquistando assim ambos os títulos.


O próximo passo foi a Fórmula 3 em 1983. Senna teve um começo brilhante com 9 vitórias consecutivas, porém passou por um duelo no campeonato, a partir da décima etapa, mas conquistou o título na última prova. A Fórmula 1 se tornava cada dia um sonho mais real.

 

Ao longo do ano de 1983, enquanto ainda estava na Fórmula 3, ele fez testes com a Williams, Brabham e McLaren, escuderias que viriam a se tornar sua casa no futuro, mas foi na Toleman que Ayrton fez sua estreia na Fórmula 1 em 1984. Na pequena escuderia conquistou 3 pódios e terminou com 13 pontos, ficando em 9º lugar na temporada.

 

Em 1985, já havia assinado contrato com a Lotus, na qual teve a estreia no inesquecível carro preto e dourado John Player Special. E foi com este veículo que, durante um dilúvio que caía no circuito, Senna se tornava pela primeira vez ganhador do Grande Prêmio da Fórmula 1, em Estoril.


No campeonato de 85, o piloto ficou em 4º lugar e trouxe a Lotus de volta ao primeiro pelotão. Senna permaneceu na equipe por mais dois anos. 


Em 1986, ficou em 4º lugar no campeonato; em 1987, das 16 provas conquistou 2 vitórias e terminou com 57 pontos, ficando em 3º lugar no campeonato.


Ayrton Senna
Fonte: @sennabrasil

Porém, estar no primeiro pelotão e ganhar algumas corridas não era o suficiente! Ganhar o campeonato era o seu sonho e o seu objetivo. Em 1988, Ayrton vai para a McLaren para ser companheiro de equipe no bicampeão Alain Prost. 


Ele disputou o campeonato com o imparável MP4/4 McLaren Marlboro, com motor Honda, que se tornou um dos carros mais dominantes da história da F1. Com uma temporada bem disputada, das 16 corridas conquistou 11 pódios e terminou com 90 pontos, alcançando a mais alta posição do campeonato e se consagrando como campeão da Fórmula 1.


Os anos de 1989 e 1990 foram marcados por uma intensa disputa interna dentro da McLaren, uma espécie de guerra fria entre seus pilotos que chegaram a rachar o box da McLaren. Em 1990, Prost vai para a Williams e Ayrton ganha um novo companheiro de equipe, que se tornou um de seus amigos mais próximos, Gerhard Berger.


Foram anos marcados por duas batidas históricas e decisivas para os campeonatos. Em 1989, Prost levou a melhor, mas em 1990, Senna conquistou o tão esperado e merecido bicampeonato. Os números de Ayrton nestes anos demonstram porque era conhecido como 'chefe'. 


Em 1989, das 16 provas conquistou 6 vitórias, 6 pódios e terminou com 60 pontos, ficando com o vice-campeonato. Em 1990, das 16 provas conquistou 6 vitórias, 11 pódios e terminou com 55 pontos, conquistando seu bicampeonato.


Em 1991, mesmo tendo conquistado dois títulos mundiais, algo ainda faltava para o grande homem: a vitória em casa no Grande Prêmio do Brasil em Interlagos. Após disputar a prova 7 vezes e ficar próximo da vitória algumas vezes, o grande dia havia finalmente chegado!


Mesmo com a caixa de câmbio do carro travada na sexta marcha nas seis últimas voltas e com uma combinação de técnica, concentração e sacrifício físico, além de uma chuva sobrenatural, Ayrton conquistou uma das maiores vitórias de sua carreira. 


No mesmo ano, Senna conquistou seu tricampeonato no Japão. Das 16 provas, ele conquistou 8 vitórias e terminou com 90 pontos.


Ayrton Senna
Fonte: @sennabrasil

Os anos de 1992 e 1993 na F1 foram marcados pela Williams de outro mundo. Ayrton ficou fora da disputa do título, mas nunca deixou de brilhar nas pistas. 


Em 92, das 16 provas conquistou 3 vitórias e terminou com 50 pontos, ficando em 4º lugar no campeonato. Em 1993, das 16 provas conquistou 5 vitórias e terminou com 73 pontos, conquistando mais uma vez o vice-campeonato.


Em 93, tivemos a memória eternizada pelo momento da bandeirada do Brasil ao ganhar, pela segunda vez, o GP de Interlagos. No mesmo ano, Ayrton conquistou pela sexta vez a vitória no Principado de Mônaco.


Enfim 1994, o ano que o tricampeão se muda para a Williams e a história do automobilismo muda para sempre. No dia 01 de maio de 1994 no Grande Prêmio de San Marino, em Ímola, após conquistar a sua última pole position e testemunhar o grave acidente de Rubens Barrichello na sexta-feira e a morte de Roland Ratzenberger no sábado, durante a fatídica corrida que nunca deveria ter acontecido, Ayrton Senna tem um problema mecânico no carro, perde a direção e é arremessado a mais de 250 km/h na grade de proteção da famosa curva Tamburello.


Um acidente que, para aqueles que presenciaram, desejam nunca mais reviver. Senna neste momento, além de grande ídolo e herói, passou a ser uma das maiores lendas do automobilismo por toda a sua incrível carreira e trajetória, com um  final trágico.

 

Senna fora das pistas


Apaixonado por adrenalina, carros e corridas de automóveis, Ayrton tinha como hobbies esportes náuticos, modelismo, corrida e ciclismo. Também tinha como paixão a aviação, chegou até a adquirir e pilotar helicópteros, aeronaves pequenas e jatinhos particulares.


Ayrton Senna
Fonte: @sennabrasil

Senna de fato era um piloto extraordinário, mas também era uma pessoa incrível! Histórias contadas por aqueles que lhe eram próximos ou que tiveram, de algum modo, sua vida afetada pela presença de Ayrton só mostram o quanto ele merece toda a admiração que recebe até hoje.


Como é o caso do empresário automotivo Moisés Teodoro da Silva, 60, que teve a chance de conhecer Ayrton Senna pessoalmente pouco antes de sua morte. Na época que esse episódio se passou, Moisés prestava serviço de forma autônoma como frotista para a concessionária Guarujá Veículos, que pelo seu destaque em desempenho de vendas, foi convidado para ser gerente da recém chegada concessionária Audi no Brasil.


"A Audi veio para o Brasil no segundo semestre de 1993, com o [Ayrton] Senna e Ubirajara Guimarães, pela Senna Import. Era uma das exigências da montadora alemã, que Senna fizesse parte do negócio pela lista de clientes em potencial, que a marca iria ganhar."


Moisés comenta que Ayrton não conseguia estar constantemente presente em território brasileiro por conta da dificuldade de conciliar sua agenda de corridas, porém comenta que o sócio, Ubirajara, tocava o negócio pela experiência que o mesmo tinha com o mercado de negócios. 


Esse acordo trouxe muitas vantagens para a carreira de Senna, mas principalmente para a famosa empresa de carros alemã, tanto em território nacional, quanto internacional. 


"O Senna ter trazido a Audi, fez com que ela conseguisse ganhar mercado em comparação a montadoras como Mercedes Benz e BMW, que já eram empresas consolidadas no Brasil desde 1990", afirma Moisés.


"Na Alemanha, o patamar de Mercedes e BMW era mais alto e a Audi seguia um pouco abaixo. Era uma questão de aceitação, de status! E o que nós fizemos aqui no Brasil, foi bater de frente com essas marcas para ficarem no mesmo patamar. E nós conseguimos! Através do networking do Ayrton Senna e da influência do Ubirajara Guimarães no meio artístico", explica o empresário. 


"Senna foi o maior piloto da história do Brasil e da época! Nós nos encontramos em março de 94. Ele estava no Brasil porque tinha acabado de ocorrer o Grande Prêmio do Brasil, que naquela época era um dos primeiros do calendário, e fizemos um test-drive juntos em Interlagos no esportivo Audi S2. Ele quem dirigiu, eu fui de passageiro, mas foi uma experiência muito bacana! Ele era um grande brasileiro, um cara sensacional, uma fonte de inspiração para muita gente, inclusive para nós, por ter trazido a marca [Audi] pro Brasil e pelo o que ele representava pro país."


O homem que era conhecido por sua integridade, mas também tenacidade dentro das pistas, antes de mais nada era uma pessoa altamente respeitável, que para muitos será eternamente ídolo e um exemplo a ser seguido por aqueles que viveram e conviveram durante os anos.



Seu legado ficará para sempre!


Um de seus principais legados de Senna é o Instituto Ayrton Senna - uma organização não governamental fundada por sua irmã, Viviane Senna, em novembro de 1994 e que ajuda milhares de crianças, escolas e educadores em todo o país.


Outro legado é o personagem Senninha, que esteve presente na infância de vários de nós. Você teve uma papete do Senninha? Eu tive rs.


Ayrton Senna
Fonte: @sennabrasil
Ayrton Senna
Fonte: @sennabrasil

Vemos esta paixão que ultrapassa gerações em tatuagens, quadros e objetos de decoração, livros, álbuns de figurinha, camisetas e bonés, e agora até uma série produzida pela Netflix para contar a sua história. 


Além de exposições e eventos no mundo todo, como a que está aberta atualmente na Itália, local de sua morte, e a reedição da exposição que esteve alguns anos em São Paulo, e que agora está no Rio de Janeiro intitulada: “Eu, Ayrton Senna da Silva – 30 Anos”, onde através de Inteligência Artificial, a voz do piloto conta sua trajetória e carreira. Tudo isso para homenagear o nosso eterno ídolo e mostrar que ele nunca será esquecido!


Ayrton Senna
Fonte: Acervo pessoal - Ana Luiza Queiroz

Para lembrar o eterno legado que Senna construiu, aqui vão algumas frases célebres do piloto:

 

"Seja você quem for, em qualquer posição que você tenha na vida, em nível altíssimo ou mais baixo, tenha sempre como meta muita força, muita determinação. E sempre faça tudo com muito amor e com muita fé em Deus, que um daí você chega lá. De alguma maneira, você chega lá"

 

"Vocês nunca conseguirão saber como um piloto sente quando vence uma prova. O capacete oculta sentimentos incompreensíveis."

 

"Somos insignificantes. Por mais que você programe sua vida, a qualquer momento tudo pode mudar."

 

"Cada piloto tem o seu limite. O meu é um pouco acima dos outros."

 

 “If you no longer go for a gap that exists, then you are no longer a racing driver.”

 

"Tenho medo da morte e da dor, mas convivo bem com isso. O medo me fascina."

 

"O medo faz parte da vida da gente. Algumas pessoas não sabem como enfrentá-lo. Outras, acho que estou entre elas, aprendem a conviver com ele e o encaram não de forma negativa, mas como um sentimento de autopreservação."

 

"Podem ser encontrados aspectos positivos até nas situações negativas e é possível utilizar tudo isso como experiência para o futuro, seja como piloto, seja como homem."

 

"Quando você não está feliz, é preciso ser forte para mudar, resistir à tentação do retorno. O fraco não vai a lugar algum."

 

"No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem-feita ou não faz."

 

"Quando penso que cheguei ao meu limite, descubro que tenho forças para ir além."

Comentários


Se inscreva para não perder nada!

Seja bem-vinda(o) ao mundo do Mulheres no Paddock! Obrigada por se inscrever!

bottom of page