top of page

Fórmula E no Brasil: saiba tudo sobre a corrida em São Paulo

Atualizado: 16 de jan.

Expectativa é reunir mais de 30 mil fãs de automobilismo no dia 25 de março, no Anhembi


Escrito por Isadora Guerra


Fórmula E no Brasil
Fonte: On Board Sports/Fórmula E

A Fórmula E está prestes a desembarcar no Brasil! A corrida de carros elétricos está programada para 25 de março, em um circuito montado no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo. Conforme a organização do Julius Baer São Paulo E-Prix 2023 (nome oficial do evento), a expectativa é reunir mais de 30 mil pessoas com o objetivo de difundir ainda mais a mobilidade elétrica no país. O contrato da Fórmula E no Brasil é válido por cinco anos, com possibilidade de renovação por mais cinco.


Essa é a primeira vez que a categoria passa pelo Brasil. A temporada ainda traz mudanças nos calendários, nos formatos das corridas, novas provas (incluindo SP) e novos times. Para 2023, saiu Mercedes e entraram Maserati e McLaren.


Fórmula E


Essa é a nona temporada da ABB FIA Formula E World Championship, que iniciou em janeiro. O campeonato conta com 16 corridas (a do Brasil é a sexta) em 10 países. É a primeira categoria de carros totalmente elétricos sancionada pela FIA como Campeonato Mundial e único esporte certificado com o selo carbono zero desde sua concepção.


O público em São Paulo verá uma corrida repleta de novidades, principalmente ligadas ao design, à engenharia e à produção. 2023 tem um gostinho todo especial: a Nova geração (Gen3). Segundo o site da Fórmula E, este é o carro mais rápido da categoria até agora, com uma velocidade máxima de mais de 322 km/h, além de ser o mais eficiente já construído. A Fórmula E diz que mais de 40% da energia utilizada em uma corrida será produzida por frenagem regenerativa.


Fórmula E no Brasil
Fonte: On Board Sports/Fórmula E

Gen3


O novo modelo já chegou ao Brasil e ficou exposto durante alguns dias na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), na Avenida Paulista. Um evento marcou a estreia do modelo sustentável em solo brasileiro. Na oportunidade, o diretor de marketing da Fórmula E na América Latina, Álvaro Buenaventura, falou sobre relevância da presença da categoria no país.


“Finalmente, o Gen3 está em São Paulo, e em poucas semanas, essa máquina estará rodando a 320 km/h pelo Sambódromo do Anhembi. É justo que a maior cidade da América Latina receba os carros elétricos mais rápidos e eficientes já construídos”, declarou à imprensa. De acordo com a própria Fórmula E, o Gen3 representa um grande salto na tecnologia, ultrapassando os limites do desenvolvimento de veículos elétricos.


O Gen3 possui dois powertrains: 250 kW na frente e 350 kW na traseira. Seus motores elétricos proporcionam eficiência energética de 95%, em comparação com aproximadamente 40% para um motor de combustão interna. O modelo pode ser carregado a 600 kW, quase o dobro da potência dos carregadores de carros elétricos de passageiros mais rápidos, para obter energia adicional durante uma corrida.


A sustentabilidade está no DNA da Fórmula E, que revela que as baterias Gen3 são feitas de minerais de origem sustentável e as células serão reutilizadas e recicladas no final da vida útil. A carroceria é feita de fibra de carbono reciclada de carros Gen2 aposentados, reduzindo o carbono em mais de 10%. A borracha natural e as fibras recicladas compõem mais de 25% dos novos pneus Gen3 e todos eles são totalmente reciclados após as corridas.


Fórmula E no Brasil
Fonte: On Board Sports/Fórmula E

Equipes e pilotos


Ao todo, 22 pilotos representam 11 equipes. Dois brasileiros atualmente estão no grid: Lucas di Grassi (Mahindra Racing) é um dos principais destaques da categoria, recordista em número de ePrix disputados, pódios e pontos conquistados, além de ter sido campeão na terceira temporada. Já Sérgio Sette Câmara, o outro representante brasuca, está em seu quarto ano na categoria, o primeiro pela NIO 333 Racing. Confira os demais nomes abaixo:


  • Mahindra: Lucas Di Grassi e Oliver Rowland

  • Nissan: Norman Nato e Sacha Fenestraz

  • McLaren: René Rast e Jake Hughes

  • Porsche: António Félix Da Costa e Pascal Wehrlein

  • Jaguar: Mitch Evans e Sam Bird

  • Envision: Nick Cassidy e Sébastien Buemi

  • Andretti: Jake Dennis e André Lotterer

  • DS: Stoffel Vandoorne e Jean-Éric Vergne

  • Maserati: Edoardo Mortara e Maximiliam Günther

  • NIO: Sergio Sette Câmara e Dan Ticktum

  • ABT: Robin Frinjs e Nico Müller


A briga pelo título está acirrada. O alemão Pascal Wehrlein (TAG Heuer Porsche) lidera a competição com 80 pontos, acompanhado de perto por Jake Dennis (Avalanche Andretti) com 62 e Jean-Éric Vergne (DS Penske) com 50. Di Grassi é o 10º com 18 pontos e Sette Câmara está em 15º, com 10.


Olho também no Stoffel Vandoorne, experiente piloto belga que já correu na Fórmula 1. A estreia dele foi em 2016 substituindo ninguém mais, ninguém menos que Fernando Alonso, no Bahrein, pela McLaren. Ele ficou em 10º e levou um pontinho pra casa, além de, posteriormente, ficar com um acento. Vandoorne disputou 41 corridas pela McLaren entre 2016 e 2018. O piloto ainda foi reserva da Mercedes e, atualmente, é companheiro do brasileiro Felipe Drugovich na Aston Martin, também como reserva.


Fórmula E no Brasil
Fonte: On Board Sports/Fórmula E

O circuito


Todas as arquibancadas terão visão para o grid de largada enquanto a corrida acontece. O percurso passa justamente pelo Sambódromo do Anhembi e pelos seus entornos, na zona norte da cidade de São Paulo. O circuito terá extensão de 2,8km, com a largada acontecendo de dentro do Sambódromo. Ao todo, serão três longas retas conectadas por chicanes, curvas abertas e fechadas.


Os ingressos para o Julius Baer São Paulo E-Prix 2023 estão à venda pelo site eventim.com.br/artist/formulae-sp/. A abertura dos portões ocorre às 7h.


Fontes


Bình luận


Se inscreva para não perder nada!

Seja bem-vinda(o) ao mundo do Mulheres no Paddock! Obrigada por se inscrever!

bottom of page