top of page

Fórmula E: saiba como funciona a qualificação das provas

Novo formato é baseado em grupos e duelos e ocorre em duas etapas principais


Escrito por Júlia Bahú

Revisado por Isadora Guerra


A Fórmula E é uma categoria de corrida de monopostos elétricos que tem conquistado cada vez mais fãs ao redor do mundo, inclusive no Brasil. Diferente das categorias tradicionais de automobilismo, a FE utiliza carros movidos exclusivamente à bateria, promovendo a sustentabilidade e a inovação no esporte a motor. Com circuitos urbanos desafiadores e um calendário que abrange diversas cidades ao redor do globo, a categoria oferece uma experiência única tanto para os pilotos quanto para os espectadores.


O processo de classificação na Fórmula E passou por uma evolução significativa ao longo dos anos e a introdução de um novo formato de qualificação trouxe ainda mais emoção e estratégia para as corridas. A qualy é baseada em grupos e duelos, oferecendo uma abordagem dinâmica para determinar a ordem de largada para a corrida. Antes da sessão, os pilotos são divididos em grupos com base na classificação do campeonato de equipes.


classificação fórmula e
Novo formato garante mais emoção na disputa pela pole position. Fonte: Formula E

Na primeira fase, o grid fica dividido em dois grupos de 11 pilotos. Aqui eles lutam a 220kW para estabelecer tempos de volta em uma sessão de 10 minutos, com os quatro mais rápidos de cada grupo avançando para a fase de duelos. Esses oito se enfrentarão nas quartas-de-final, competindo entre si em um mata-mata em 250kW. As quartas de final duram 15 minutos e os quatro mais rápidos são promovidos às semifinais. O mesmo processo é realizado para a semifinal, com os dois pilotos mais rápidos na pista chegando à final.


O piloto vencedor do duelo final fica com a Julius Baer Pole Position, enquanto o segundo colocado larga em P2. Os semifinalistas terminam em terceiro e quarto lugar e os eliminados nas quartas de final ficam entre quinto e oitavo, dependendo de seus tempos de volta. Os pilotos do quinto ao 12º lugar que competiram no grupo do pole position preencherão as posições ímpares do grid. Os pilotos correspondentes do outro grupo serão classificados nas vagas pares do grid. Assim, se o pole for do Grupo 1, o quinto colocado do Grupo 1 fica em nono lugar no grid de largada e o quinto colocado do Grupo 2 ficará em 10º, e assim sucessivamente. Quem faz a pole acumula três pontos no campeonato.


classificação fórmula e
Oliver Rowland, da Nissan, com o troféu da pole da corrida 2 em Diriyah, em 2024. Fonte: Esporte News Mundo

Esse novo formato adiciona uma camada de estratégia para as equipes e pilotos. A gestão do tráfego na pista, a escolha do momento certo para sair dos boxes e a otimização da energia são key points que podem influenciar o resultado final da qualificação. Este novo sistema reflete o compromisso da Fórmula E em inovar e oferecer uma experiência única aos espectadores, consolidando seu lugar como uma das principais categorias do automobilismo mundial.


Como funciona um fim de semana de corrida


classificação fórmula e
Carros da Fórmula E durante treino livre 1 em SP. Fonte: Fórmula E

O Campeonato Mundial ABB FIA Fórmula E certamente tem uma programação única no mundo do automobilismo. Onde a maioria das categorias são divididas em vários dias, este campeonato totalmente elétrico tem a maior parte da ação na pista durante um dia. Há meia hora de treinos nas noites de sexta-feira para as equipes, mas todos os grandes momentos acontecem no dia da corrida, que geralmente é sábado ou domingo.


Uma segunda sessão de treinos é marcada para a manhã da corrida, seguida pela qualificação e depois pela prova. Entre as sessões, acontecem diversas atividades de pista, inspeções médicas e também pilotos com compromissos como entrevistas e sessões de autógrafos para os torcedores.


Na sessão de autógrafos em SP, Nyck De Vries foi um dos pilotos mais procurados. Fonte: Mulheres no Paddock


Dependendo de quantas corridas ocorrerem em um fim de semana de Fórmula E, haverá duas ou três sessões de treinos livres. Se houver apenas uma corrida, haverá duas oportunidades de treino: uma no dia anterior ao E-Prix e outra no dia do E-Prix. Se o fim de semana consistir em uma rodada dupla, outra sessão de treinos livres será adicionada ao segundo dia de corrida, antes da qualificação e da prova.


Cada sessão de treinos de 30 minutos é cronometrada, embora os resultados não influenciem a ordem da qualificação ou da corrida. É apenas uma oportunidade para equipes e pilotos verem como os seus carros se comportam, conheceram o circuito e fazerem quaisquer alterações necessárias antes dos grandes eventos posteriores.


Como foi a qualificação do ePrix de São Paulo 2024


classificação fórmula e
Decisão da pole foi no terceiro setor, onde Wehrlein superou Vandoorne por apenas 0s002. Fonte: BandPlay

A classificação para o ePrix de São Paulo, no Sambódromo do Anhembi, foi emblemática. Pascal Wehrlein, da Porsche, anotou 1:12.789 e desbancou Stoffel Vandoorne, da Penske, por apenas dois milésimos de segundo para fazer a pole da etapa brasileira, a segunda do alemão na temporada. 


Com formato de qualificação mata-mata, Vandoorne avançou para a final após desbancar o companheiro Jean-Eric Vergne nas semis, enquanto Wehrlein passou após superar o compatriota Maximilian Günther (que apesar de ter sido o terceiro mais veloz, teve uma punição e largou no fim do grid). 


Na final, Wehrlein foi mais veloz no primeiro setor, mas Vandoorne foi melhor na segunda parte do circuito. A decisão foi no terceiro e último setor, momento em que Wehrlein superou o belga por apenas 0s002. Curiosidade: essa foi a segunda menor diferença de pole na história da Fórmula E, perdendo apenas para a pole anotada por Lucas Di Grassi em 2017, em Berlim, quando a diferença foi de apenas 0s001. 


classificação fórmula e
Pascal Wehrlein, da Porsche, anotou 1:12.789 e conquistou a superpole no Brasil em 2024. Fonte: Fórmula E

ePrix de Misano


A Fórmula E retorna às pistas neste final de semana (12, 13 e 14 de abril) para realizar a estreia do E-Prix de Misano, a sexta e sétima etapas da temporada 2023/2024, que acontece no Circuito Mundial Marco Simoncelli, na província italiana de Rímini, região do Mar Adriático. Misano se torna o 35º local diferente a sediar um ePrix de Fórmula E, o segundo a estrear este ano, depois da etapa anterior, em Tóquio, no Japão.


Sexta-feira (12/04), antes dos Treinos Livres 1 e 2, ocorreu o Treino Livre de Novatos (TL0), uma sessão de 30 minutos reservada para pilotos de testes e de desenvolvimento das equipes. Sheldon Van der Linde que guiou o I-TYPE 6 da Jaguar TCS Racing, Taylor Barnard esteve no cockpit do e-4ORCE 04 da McLaren, e Jack Aitken foi o piloto selecionado para representar a Envision Racing no I-TYPE 06 da equipe britânica. O brasileiro Caio Collet ocupou a vaga da Nissan. Desde o início deste ano o brasileiro é o reserva oficial da equipe de elétricos.


Entre outros nomes confirmados estiveram Zane Maloney (Andretti) e Paul Aron (Envision), que disputam a temporada 2024 da Fórmula 2. Robert Shwartzman, piloto reserva da Ferrari na Fórmula 1, foi escalado pela Penske e também esteve na pista.


Fontes

Comentarios


Se inscreva para não perder nada!

Seja bem-vinda(o) ao mundo do Mulheres no Paddock! Obrigada por se inscrever!

bottom of page