top of page

A importância do preparo físico para os pilotos na F1

Atualizado: 16 de jan.

Rigoroso e multifacetado, o processo visa preparar o corpo dos atletas para as extremas condições das pistas


Escrito por Hamanda Portal

Revisado por Isadora Guerra


Quando se assiste a uma corrida de Fórmula 1, é fácil se deslumbrar com a velocidade, a precisão e a destreza dos pilotos enquanto manobram seus carros. Por trás desse espetáculo de alta octanagem, entretanto, há uma realidade frequentemente subestimada: a importância crucial do preparo físico dos atletas de altíssimo nível da categoria. Os circuitos exigem um nível excepcional de aptidão física e mental devido às condições extremamente desafiantes dos GPs, como Singapura e Catar, por exemplo.


A preparação física de um piloto é um regime rigoroso e multifacetado que visa preparar o corpo para as extremas demandas da pista. Os pilotos submetem-se a treinamento cardiovascular, força e resistência, buscando uma combinação única de aptidão física e mental. Treinos de resistência cardiovascular, como corrida de longa distância, melhoram a capacidade do coração e dos pulmões de fornecer oxigênio aos músculos, essenciais para manter o ritmo cardíaco elevado por longos períodos.


preparo físico
Monitorar para analisar e sempre aperfeiçoar técnicas, por isso Pierre Gasly treina com sensores de monitoramento. Fonte: Exhausting Formula 1 Training

A resistência cardiovascular é essencial, pois os pilotos enfrentam forças g significativas, exigindo um coração forte para manter o foco. As corridas geralmente superam uma hora de duração e exigem que os pilotos mantenham um alto desempenho físico e mental ao longo da prova, evitando a fadiga que poderia afetar sua concentração e habilidades de pilotagem. Além disso, as altas frequências cardíacas induzidas pelo estresse físico, mental e as forças g durante a corrida são bem administradas por uma boa resistência cardiovascular, garantindo o fornecimento adequado de oxigênio para os músculos e o cérebro.


preparo físico
Sergio Perez treina os músculos do pescoço para tentar diminuir o impacto da força g. Fonte: airwayz.com

Resistência física


Outro desafio para a resistência física dos pilotos é a alta temperatura dentro do cockpit. Durante as corridas, a temperatura pode ultrapassar os 60 graus Celsius. Essa elevação térmica ocorre em locais com clima quente, devido à pouca ventilação e a falta de isolamento térmico nos materiais leves usados na construção dos carros. Além disso, a aerodinâmica do veículo, o calor gerado pelo motor e pelos freios, bem como o equipamento de segurança dos pilotos (macacão e capacete), também contribuem para o aumento das temperaturas internas.



Conheça alguns dos exercícios que os pilotos fazem para se preparar para as corridas. Fonte: Canal Fórmula 1


Recapitulando: a famosa força g


Um aspecto singular das corridas de Fórmula 1 é a exposição dos pilotos a forças gravitacionais extremas, conhecidas como forças g. Em curvas fechadas, a aceleração lateral pode atingir até 5g, o que significa que o corpo do piloto é submetido a uma pressão cinco vezes maior do que a gravidade. A força g exige um pescoço incrivelmente forte para sustentar a cabeça do piloto, evitando que ele lesione ou perca o controle do carro durante as curvas.


A preparação física dos pilotos é crucial para resistir a essas forças G e eles passam por treinamento específico para fortalecer os músculos do pescoço, torso e membros. Além disso, os carros de Fórmula 1 são projetados com sistemas de segurança, como cockpits fechados e cintos de segurança de vários pontos, para proteger os atletas contra lesões decorrentes das forças g e de acidentes. A força do pescoço e do core é fundamental para controlar o carro e resistir às forças g laterais e verticais.



preparo físico
Pietro Fittipaldi sabe que os músculos do pescoço desempenham um papel crítico no desempenho de um piloto de F1. Fonte: Canal Fittipaldi Brothers

Ter um pescoço forte é essencial para evitar a fadiga, lesões e manter uma visão clara da pista, garantindo assim o controle do carro. Além disso, a força do pescoço contribui para o conforto e a concentração, permitindo que os atletas enfrentem as forças g com mais facilidade e, consequentemente, mantenham a atenção na pilotagem e nas informações passadas pela equipe. A resistência do pescoço também é importante para minimizar o desconforto causado pelas vibrações dos carros em superfícies irregulares. Por isso, os pilotos fazem treinamentos bem específicos para fortalecer esses músculos.


Resistência mental e concentração


A preparação física aprimora a coordenação e os reflexos, permitindo que os pilotos tomem decisões rápidas em situações de alta pressão, que são comuns nas corridas de F1. Preparação essa que desempenha um papel vital na resistência mental, ajudando-os a manter a concentração ao longo de provas longas, desgastantes e desafiadoras.


preparo físico
Yuki Tsunoda utiliza o simulador para treinar bastante o movimento dos braços e mãos. Fonte: Exhausting Formula 1 Training

Além disso, os atletas da categoria precisam de uma resistência mental inabalável, para que possam tomar decisões cruciais em milissegundos. Eles enfrentam uma grande variedade de decisões críticas durante uma corrida para competir com eficácia e segurança. Um exemplo de sucesso é Max Verstappen, que ao longo dos anos conseguiu atingir um nível de inteligência emocional pouco visto na história da categoria.


preparo físico
Verstappen: treinar os reflexos é tão importante como treinar o físico. Fonte: Max Verstappen

Entre as principais decisões rápidas estão estratégia de pit stops e gerenciamento de recursos, incluindo a escolha do ponto de frenagem, aceleração e linha de pilotagem. Eles também precisam pensar nas paradas nos boxes e na gama de pneus que irão utilizar, tudo isso enquanto os atletas mantêm comunicação constante com a equipe para relatar problemas, pedir orientações e ajustar as estratégias de corrida. Isso acontece em tempo real, por esse motivo os pilotos dedicam uma atenção considerável aos exercícios de tempo de reação.


Todas essas preparações auxiliam os atletas a ter recuperação rápida após as provas, essencial para que eles mantenham o nível em todas as etapas do mundial, inclusive nas próximas três corridas seguidas nas Américas.


Atletas de ponta


Veja como os exercícios impactam os músculos do corpo. Fonte: Exhausting Formula 1 Training


A Fórmula 1 é muito mais do que carros velozes, curvas acentuadas e motores roncando. É um esporte de alta performance que exige atletas de ponta. Porém, a grandeza da categoria e o real desempenho e potencial dos pilotos só fica evidente em demandas extremas (de novo: Singapura e Catar). Mas vale lembrar: a profissão de piloto exige agilidade, habilidades mentais e físicas excepcionais, preparo físico, resistência cardiovascular, concentração mental e muita, mas muita dedicação. São esses atletas que colocam o sarrafo do automobilismo lá em cima e proporcionam um espetáculo de velocidade, precisão e excelência.


Fontes


Comentarios


Se inscreva para não perder nada!

Seja bem-vinda(o) ao mundo do Mulheres no Paddock! Obrigada por se inscrever!

bottom of page